Como fazer um MENU no Excel

por João Henrique

Quer deixar os seus arquivos do Excel mais elegantes, e facilitar a busca por uma planilha específica? Que tal criar um Menu para a sua pasta de trabalho, facilitando a navegação entre as diversas planilhas?

Como exemplo, vamos adotar um arquivo de Gestão Empresarial, contendo 3 planilhas: uma para controle de funcionários, outra para controle de pagamentos e outra para controle de contas a receber. Veja na figura abaixo como ficará esse menu, ou então baixe a planilha de exemplo para experimentar o menu.


Ao clicar em qualquer um dos botões (controle de funcionários, pagamentos vencidos, etc.), a respectiva tabela será apresentada. Para fazer isso, precisamos primeiramente clicar na célula que funcionará como um botão (no caso, a célula D5), e clicar no botão "Hyperlink" da guia "Inserir", como mostrado abaixo.


Ao clicar no botão "Hyperlink" será exibida a janela "Inserir hyperlink", conforme a figura abaixo. Nessa janela, você deverá clicar no botão "Colocar neste documento" (passo 1). Em seguida, deverá escolher qual a planilha que você quer que apareça quando o botão for clicado (passo 2). O terceiro passo é opcional, e consiste em dizer qual é a célula em que a sua tabela inicia. Se a tabela estiver no topo da planilha, pode deixar "A1" mesmo. Por último, basta clicar em OK.


Ao clicar em OK, o texto da célula ficará sublinhado e de cor azul, como os links das páginas web. Mas não tem problema, você pode retirar o sublinhado e alterar a cor normalmente. Com isso você já pode clicar no botão que você criou e o Excel irá exibir aquela planilha que você selecionou na janela "Inserir hyperlink". Basta repetir o procedimento para todos os botões e o seu menu estará criado. Para saber como ficará o menu, experimente essa planilha de exemplo.


DICA EXTRA: para facilitar ainda mais a vida de quem estiver utilizando suas planilhas, você pode utilizar o mesmo procedimento para criar um botão que permita voltar ao menu inicial.


Para baixar:



Calendário 2014

por João Henrique

Calendário 2014, para você que já está planejando o próximo ano!

Calendário 2014 - Página única


Calendário de 2014 em uma única página.


Para baixar:
   Calendário Página Única (PDF)
   Calendário Página Única (Excel)






Calendário de compromissos 2014


Este calendário apresenta cada mês em uma página, com espaço para compromissos. Ideal para servir como agenda / organizador



Para baixar:
   Calendário de compromissos (PDF)
   Calendário de compromissos (Excel)







Função CONT.SE

por João Henrique

A função CONT.SE é tão útil, mas tão útil, que fiquei surpreso hoje ao perceber que eu ainda não tinha explicado essa função para vocês. Vejamos alguns exemplos em que ela pode ser utilizada:

Para que serve a função CONT.SE

Em uma planilha de funcionários podemos usar a função CONT.SE para descobrir: quantos funcionários são homem/mulher? Quantos funcionários ocupam o cargo de auxiliar administrativo? Quantos funcionários têm treinamento em primeiros socorros?...

Também podemos usar o CONT.SE, por exemplo, em uma planilha comparativa de carros: quantos carros são da Fiat/Volkswagen/Ford/etc? Quantos carros têm câmbio automático? Quantos carros custam menos do que 20.000? Quantos carros são de antes de 2008?

Acho que já deu pra perceber que a função CONT.SE serve para contar a quantidade de um certo tipo de dado nas nossas tabelas.


Como utilizar a função CONT.SE


      Sintaxe: CONT.SE(células; critério)

O primeiro argumento da função é o intervalo de células que iremos contar, enquanto o segundo argumento é o critério que será utilizado para saber se aquele elemento deve ser contado ou não. Hein? Dá uma olhada nessa tabela de exemplo:


Vamos contar quantos funcionários são do sexo masculino. A informação do sexo está na coluna C, então as células que iremos utilizar são as células de C3 até C7 (C3:C7). O sexo masculino está representado pela letra M maiúscula, então esse será nosso critério. Ou seja, a nossa fórmula ficará assim: =CONT.SE(C3:C7;"M")

Exercício: como seria a fórmula para calcular a quantidade de funcionários do sexo feminino?


No caso de números, podemos usar os operadores maior que, menor que, etc. Por exemplo, para calcular a quantidade de funcionários com salário maior que 2000, podemos usar a seguinte fórmula:  =CONT.SE(D3:D7;">2000"). Observe que como o salário está na coluna D, as células na nossa fórmula vão ser de D3 até D7 (D3:D7). Os operadores de comparação que a gente pode usar são:

>  Maior que
< Menor que
>= Maior ou igual a
<= Menor ou igual a
<> Diferente de


Por último, vamos calcular quantos funcionários possuem curso de Excel. A princípio, a gente pode pensar em fazer assim:  =CONT.SE(E3:E7;"Excel") . No entanto, essa fórmula não é correta, pois contaria apenas aqueles funcionário cujo curso seja exatamente igual a Excel (no caso, Ana), mas não contaria os que também tem outros cursos (João e Maria). A fórmula correta seria assim:  =CONT.SE(E3:E7;"*Excel*") .

Aí você pergunta: o que são esses asteriscos na fórmula? Esses asteriscos representam... qualquer coisa; por isso ele é chamado de caractere curinga. Como colocamos um asterisco antes da palavra Excel, ele vai contar todas as células que tenham qualquer coisa antes da palavra Excel. Como também escrevemos um asterisco depois da palavra Excel, qualquer célula que tenha qualquer coisa escrita depois de Excel também será contada.


Exemplos da função CONT.SE

Para concluir, veja alguns exemplos de contagem, com as respectivas fórmulas:




Tabelas Dinâmicas

por João Henrique

Para que servem as tabelas dinâmicas?

Toda vez que queremos agrupar os valores de uma tabela de acordo com um certo critério, podemos utilizar uma tabela dinâmica. Podemos agrupar para fazer simples contagens (quantos elementos estão agrupados), além de calcular somas, médias, valores máximos e mínimos, entre outras opções. Como exemplo concreto, considere essa tabela de vendas de uma livraria:


Utilizando tabelas dinâmicas, podemos visualizar facilmente o total de vendas por filial, por categoria ou por produto; a quantidade de vendas por filial, categoria ou produto; o preço mais caro de cada filial, e assim por adiante. Veja mais alguns exemplos a seguir.

Se temos uma tabela de notas de todos os alunos de uma escola, podemos fazer uma tabela dinâmica com a média das notas por turma. Em uma tabela de despesas de supermercado, podemos calcular quanto gastamos em cada tipo de produto (alimentos, vestuário, produtos de higiene, etc.). Se temos uma tabela de visitantes do nosso site, podemos contar o número de visitantes separados por estado. A partir de uma planilha de despesas com RH, podemos usar tabelas dinâmicas para calcular: quanto é gasto em cada setor da empresa (Soma), a média de salário por cargo (Média), quantas pessoas trabalham em cada setor (ContNúm), qual o maior salário em cada cargo (Máx), qual o menor salário em cada cargo (Mínimo), e assim por diante.

Uma outra característica importante da tabela dinâmica é que ela é... dinâmica! Isso quer dizer que ela é interativa, você pode modificar os campos e resultados sem se preocupar em perder os dados. Com isso você também não precisa preparar diferentes tabelas - uma para gastos por setor, outra pra gastos por cargo, etc. - basta fazer uma única tabela dinâmica e alterar suas opções.

Para explicar como fazer uma tabela dinâmica no Excel, iremos usar um exemplo de uma livraria que possui filiais em São Paulo e em Recife.

Como criar uma tabela dinâmica

Para começar, vamos selecionar a tabela que contém os dados que iremos usar na nossa tabela dinâmica. Em seguida, clicamos na guia "Inserir" e apertamos o botão "Tabela Dinâmica".

Em seguida irá aparecer uma janela onde você poderá selecionar a tabela que será usada (o que já fizemos), além de escolher onde será criada a tabela dinâmica. Para esse exemplo, vamos deixar a opção "Nova Planilha" e clicar em OK.


Ao clicar em OK, sua janela ficará mais ou menos assim:


Esse painel à direita é onde podemos configurar nossa tabela dinâmica. Na parte superior desse painel são listados os campos da nossa tabela - ou seja, as colunas da tabela.

A primeira coisa a fazer é configurar o campo de "Valores", que normalmente contém valores numéricos. Em uma planilha escolar, o valor seria a nota do aluno. Em uma planilha de RH, seria o salário do empregado. Na nossa planilha de vendas de uma livraria, o valor será o Preço dos itens vendidos. Para definir isso, basta clicar-e-arrastar o campo "Preço" da parte superior do painel para a área de "Valores", no canto inferior direito do painel.

Ao fazer isso sua tabela mostrará a soma de todos os preços da tabela, como mostra a figura a seguir. Mas isso não é muito útil, né? O que a gente quer é visualizar o valor da soma por filial, categoria ou produto.

É agora que a mágica acontece: para agrupar os valores por filial, basta selecionar o campo "Filial" na parte superior do painel da tabela. Para agrupar por categoria, é só selecionar "Categoria" em vez de "Filial". Pode agrupar por mais que um campo? Pode sim, veja os exemplos na figura abaixo.


Como mudar o tipo de resultado da tabela dinâmica

Até agora só vimos como fazer a tabela dinâmica que soma os valores agrupados, mas também é possível calcular média, valor máximo, entre outras opções. Para alterar o tipo de resultado, clique no valor que você está utilizando, no canto inferior direito do painel de tabela dinâmica, e escolha a opção "Configurações do Campo de Valor...".


Na janela que aparece, escolha o tipo de resultado que você quer e clique em OK. As opções são: Soma, ContNúm, Média, Máx, Mínimo, Produto, Contar Números, DesvPad, DesvPadp, Var, e Varp.

Existe muito mais a se explorar nas tabelas dinâmicas, mas isso é todo o básico que você precisa para começar a usar esse ótimo recurso do Microsoft Excel!



Consumo de combustível

por João Henrique

Foto: Franco Folini
Quer saber como calcular o consumo de combustível do seu carro, realizando o cálculo de quilometragem? Para isso você pode utilizar esta planilha de consumo de combustível. Como sempre, deixei o mais simples possível para que possa ser usado de forma prática por todos. Veja como usar:

Toda vez que abastecer o carro, anote a quilometragem marcando no odômetro total, o volume de combustível antes de abastecer, a quantidade que foi abastecida, e o preço total. Se quiser, anote também a data e o posto no qual você abasteceu.




Quando chegar em casa, passe esses dados para a planilha de consumo de combustíveis. À medida que você vai abastecendo, a planilha calcula o consumo entre um abastecimento e outro, além do consumo médio total e o gasto médio - ou seja, quanto você gasta em média para cada quilômetro percorrido.


Dessa forma fica bem fácil planejar o reabastecimento nas próximas viagens de carro, não acha?

Para baixar:
Planilha de acompanhamento de consumo de combustível